segunda-feira, 27 de junho de 2011

MATEUS 11.12 – A Violência e o Reino de Deus?

MATEUS 11.12 – A Violência e o Reino de Deus

“E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele”.
Com o atual movimento de Batalha Espiritual muitos na igreja acabam considerando normal a violência como uma forma espiritual para combater o mal e o pecado. Palavras como armas, guerra, inimigo, batalha, estratégia, lutas, conquista e outras têm sido muito enfatizadas e por isto a violência tem sido muito incentivada como um conceito cristão. Mas qual é o tipo de violência que a batalha espiritual pode ser? Não podemos deixar de perceber e constatar que existe uma violência no conceito de batalha, de guerra espiritual, mas será que esta violência pode ser trazida para o relacionamento humano? A Bíblia diz que temos de revestirmos de uma armadura, mas as peças são espirituais, e Paulo diz que a vida dele foi um bom combate, entretanto a Bíblia diz que esta luta é espiritual, não física: (Efésios 6:12) - “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. Quando a igreja transfere esta luta para o mundo físico, identificando pessoas pelo qual Jesus morreu para salvar, a igreja pode criar doutrinas perigosas, assim como aconteceu no período da idade média com as fogueiras e torturas para os que são contra a denominada igreja cristã.
Um dos textos mais usados para permitir atitudes violentas como de inspiração divina é Mateus 11:12. Façamos uma análise mais aprofundada do texto. Estas palavras do Senhor Jesus tem sido usadas para promover muitas violências contra pessoas, foram nelas que a Igreja Católica Medieval se apoiou para fazer a inquisição, e inclusive que muitos movimentos cristãos históricos se apoiaram para promover perseguição, genocídio, preconceito, racismo, e divisões. Os cristãos chegaram a formar exércitos para exterminar inimigos “pagãos”. Houve os “soldados de Cristo” que carregavam uma armadura e espadas reais e matavam fisicamente os chamados “inimigos da igreja”. A violência “cristã” criou a doutrina do anti-semitismo fazendo de todo judeu um traidor como Judas, e diminuiu todos os povos de pele escura como amaldiçoados por teoricamente serem filhos de Cão. Com doutrinas absurdas os pretensos “cristãos” criaram suas ‘desculpas’ para a violência a favor do Reino de Deus. O texto de Mateus 11:12 tem sido usado por muitos “cristãos” que o utilizam como apoio para promover a perseguição de todos que são considerados hereges, perdidos e traidores da igreja. Mas o que o texto diz dentro do contexto e nas palavras originais. Será que o Senhor Jesus estava pregando uma forma de aniquilação dos inimigos? Será que Jesus estaria de acordo com todas as atrocidades físicas e morais que foram promovidas dentro e pelas organizações dirigidas por igrejas? Será que Jesus apoiou em vida a eliminação dos romanos ou dos judeus que não aceitaram sua doutrina? Porque Jesus não deixou a “orelha de Malco” cortada, mas a curou e mandou Pedro deixar a espada?
A questão de ligar a violência contra o Reino dos Céus a uma pretensa violência contra todos que violentam o Reino de Deus seria uma contradição. Porque considerar que se pode violentar alguém que está violentando o Reino dos Céus seria afirmar que a violência do que violenta é maligna, então a violência não poderia ser usada em hipótese nenhuma, pois é do mal. Neste caso um herege ou inimigo do Reino dos Céus estaria apenas tentando conseguir conquistar o Reino dos Céus, e isto não deveria ser impedido, porque ele poderia ser salvo com sua violência. Vemos claramente que este pensamento é totalmente contrário a mensagem do Sermão da Montanha que afirma que os que alcançarão o Reino dos Céus são os “pobres de espírito” e “os que sofrem perseguição por causa da justiça”. (Mateus 5:3) - “Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; (Mateus 5:10) - Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus”. Estes dois versículos utilizam o mesmo termo usado pelo texto estudado: Reino dos Céus. Além disso, no Sermão da Montanha, Jesus afirma outra bem-aventurança que diz ser os pacificadores ou os que trazem a paz, os que serão os filhos de Deus: (Mateus 5:9) - “Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus”. Isto afasta muito o conceito de violência como forma benigna de alcançar o Reino dos Céus. No texto do Sermão da Montanha em Lucas o Reino dos Céus é traduzido por Reino de Deus, o que mostra que os dois são o mesmo lugar, não há diferença, pois o Reino dos Céus é o Reino de Deus.
Temos seis textos traduzidos abaixo do mesmo versículo:
O texto na tradução Almeida Corrida File (ACF) diz: “E, desde os dias de João o Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele”.
Na Atualizada (A) diz: “Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”.
Na Corrigida (C) diz: “E, desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele”.
Na linguagem do dia de hoje (LDH) diz: “Desde os dias em que João anunciava a sua mensagem, até hoje, o Reino do Céu tem sido atacado com violência, e as pessoas violentas tentam conquistá-lo”
Na Nova Versão Internacional (NVI) diz: “Desde os dias de João Batista até agora, o Reino dos céus é tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele”
Na Versão Católica (VC) diz: “Desde a época de João Batista até o presente, o Reino dos céus é arrebatado à força e são os violentos que o conquistam”.
Nas seis traduções encontramos uma primeira parte praticamente igual: “E, desde os dias de João o Batista até agora...”, apenas na LDH acrescenta uma amplificação que não é uma tradução, mas uma conclusão: “...anunciava a sua mensagem...”.
Já a segunda e terceira parte há uma diferença fundamental, que levará sua mensagem para dois caminhos opostos. Estas duas conclusões podem ser duas doutrinas diferentes:
- O Reino dos Céus é conquistado por meio de uma violência positiva e estas pessoas violentas conquistam o Reino dos Céus por meio desta violência, que seria um esforço extremo de conquistar a salvação.
- O Reino dos Céus sofre violência pelas pessoas violentas que tentam apoderar-se dele.
As duas posições são muito diferentes, mas as duas posições demonstram que o Reino dos Ceus recebe uma violência, entretanto numa corrente a violência é negativa e noutra é positiva. Nas duas correntes seria uma incoerência permitir a violência contra outras pessoas, pois o Reino de Deus aqui é chamado de Reino dos Céus, não da terra. Apoderar-se de territórios físicos usando de violência como se fosse para o Reino dos Céus, é um erro de interpretação e de coerencia com o texto. O texto diz de pessoas buscando positivamente ou negativamente o Reino dos Céus, e não conquistando mais espaço para o Reino dos Céus. O Reino dos Céus já está feito, quando a violência é usada para conquistá-lo. O Reino é dos Céus, não da Terra. O Reino dos Céus já de propriedade de Deus, e os “violentos” querem adquiri-lo. É muito estranho imaginar uma violência positiva, mas conforme a corrente que defende a violência como forma de alcançar o Reino dos Ceus, esta violência torna-se necessária. Neste pensamento: “O Reino dos Céus é conquistado por meio de uma violência positiva e estas pessoas violentas conquistam o Reino dos Céus por meio desta violência”.
No segundo pensamento o Reino dos Céus é violentado ou agredido por pessoas violentas, mas não conquistado por violência. Neste conceito a violência é uma arma usada contra o Reino dos Céus, e por meio de violência ou força apoderam-se dele. Em várias parábolas Jesus demonstra o que é o Reino dos Céus, e diz que o Reino dos Céus é semelhante a algum simbolo. Independente do local do Reino dos Céus, ele é um ambiente ou um grupo de pessoas que Deus está no controle. Então a violência contra o local ou grupo de pessoas que estão sobre o governo de Deus poderia gerar um tipo de conquista, mas que o texto não diz ser uma conquista de domínio, mas de aprisionamento, mesmo que seja apenas fisicamente. Pessoas violentas então poderiam através da violência agredir o Reino de Deus e apoderar-se dele. E o texto não diz que este domínio é a conquista e sim o “roubo” ou apropriação usurpadora, conforme a palavra no original.
O texto no original diz:
΄από δε τϖν ΄ημερϖν ίωάννου τοΰ βαπιστοΰ ΄έως ΄άρτι ΄η βασιλεία τϖν οϋρανϖν βιάζεται καί βιασταί ΄αρπάζουσιν αΰτήν.
Transliterado é : APO DE TON EMERON IOANNU TU BAPTISTU (João Batista) EOS ARTI E BASILEIA TON URANON (Reino dos Céus) BIAZETAI KAI BIASTAI ARPAZUSIN AUTEN.
Encontramos algumas palavras nas duas partes finais do versículo que vamos estudar:
βιάζεται - ( Biazetai) Esta Palavra que é traduzida por violência é na verdade um verbo BIAZW que está na voz passiva e deveria ser traduzido como “sofrer violência”.
βιασταί - (Biastai) é outra palavra que é um substantivo proveniente do verbo BIAZW, e que quer dizer “homem violento”.
΄αρπάζουσιν - (Arpazusin) é um verbo ARPAZO que significa “roubar, arrebatar, tomar para si”.
Considerando as palavras chaves das duas partes finais do texto poderiamos dizer que o texto literalmente diz:
“... o Reino do Céus sofre violência e o homem violento rouba ou arrebata para si a ele.”
Não podemos acreditar que que um homem violento poderia através de um roubo que é adquirir o que não é de seu poderio ser uma forma aprovada por Deus. E a salvação não pode ser adquirida por nenhum mérito próprio é dada gratuitamente, graça, por meio do ato sacrificial de Jesus Cristo em sua morte e ressurreição. Ninguem pode alcançar a salvação por meio de atitudes extremas ou violentas, pois para alcançar o Reino dos Céus é necessário receber o que Jesus fez. Nenhum cristão deveria ser violento roubando algo que não é seu, isto é uma obra do diabo. Então este texto leva a compreensão que existe uma agressão contra o Reino de Deus, assim como foi feito contra João Batista, e homens violentos usam da violência para aprisionar ou roubar para si tudo que é do domínio de Deus, especialmente seu povo, a igreja. João Batista foi aprisionado e decapitado por homens violentos, e isto foi uma violência contra o Reino dos Céus, assim como todos os atos violentos contra a igreja durante todos os séculos. A violência contra o Reino de Deus sempre aconteceu, e vai acontecer a ponto de aprisionar e até matar o povo do Senhor, mas o dia da vingança virá, e esta vingança não pertence a igreja, pertence a Deus. (Deuteronômio 32:35) - “Minha é a vingança e a recompensa, ao tempo que resvalar o seu pé; porque o dia da sua ruína está próximo, e as coisas que lhes hão de suceder, se apressam a chegar”.

11 comentários:

  1. Parabéns, foi a melhor análise sobre esta passagem-Mateus 11.12- que eu já vi até hoje.
    Renato Lima
    rlima119@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. MATEUS 11:12 Desde a época de João Batista até o presente, o Reino dos céus é arrebatado à força e são os violentos que o conquistam.poderemos ver esta passagem do evangelho de Jesus como a mensagem de amor que ele veio nos trazer um especie de divisão entre a 1ª revelação de Moisés onde a lei de Deus era firmada no olho por olho e dente por dente portanto através da violência. A 2ª revelação onde Jesus veio nos dizer que o reino de Deus é conquistado com a pratica do amor do perdão e da caridade portanto pelos mansos e misericordiosos, e não mais pelos violentos.MUITA GRAÇA E PAZ.

    ResponderExcluir
  3. Ramos,creio sim que a revelação de Jesus foi como uma explicação de Deus sobre como a lei veio por amor, não para destruição. Portanto tudo que vemos no período de Moisés é uma preparação para a compreensão mais ampla e real do amor de Deus.

    ResponderExcluir
  4. Show , gostei do texto ,dos comentarios e respostas ,to me iniciando pra poder caminhar com vocês .Obrigado Diógenes.

    ResponderExcluir
  5. Bacana as considerações, etc, mas, por que não ir pelo simples do simples e interpretar que literalmente o Reino dos Céus estaria sofrendo violência por "pessoas violentas" que não prevaleceram ou prevaleceriam, mas, tentaram? Obs.: Para o Mundo Jesus anunciou: É chegado o Reino dos Céus, ou, em outras palavras, vos é dado a conhecer e participar de tal Reino, que, como o nome já diz, é nos Céus e dos Céus. Reflitam!

    ResponderExcluir
  6. Que coisa boa ! Estudar e conhecer os termos nos originais , o contexto histórico e religioso e importantíssimo para que ensinemos a Palavra com equilíbrio e verdade. Você tem um blog ou site que sempre esceve, sempre faz estes estudos profundos ? Deus abençoe.

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Eu entendi, na minha experiência de vida, o mesmo que consta na Versão Atualizada (A), que diz: “Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele”.
    .
    Claro que não será pelas obras que seremos salvos.
    Mas a Bíblia diz que:
    a) nascemos em Pecado. OBS: Se você verificar, desde crianças, há em nós uma inclinação para Pecar.
    b) quem comete pecado é escravo do Pecado.
    c) o salário do pecado é a morte e a condenação eterna.
    .
    Nesse cenário, nascemos escravos de um sistema que nos aprisiona, molda nossa forma de viver, suga nossa energia vital, e o final da nossa vida conclui-se na Morte Física. Espiritualmente permanecemos toda nossa idade cronológica Mortos. Veja Efésios 2:1-3.
    .
    Bem...
    Eis que - para o homem morto e aprisionado - aparecem:
    a) Os profetas e as profecias
    a) A vinda do Messias. A Palavra e a Vida (vivida) de Jesus, o Cristo.
    b) o Termo: VENCER O MUNDO.
    c) O seu discipulado e a propagação daquela forma de vida através dos Apóstolos
    d) a propagação dessas boas novas por TODA A TERRA.
    .
    Concluindo...
    Existe a possibilidade de Vencer o Mundo...
    Existe a possibilidade de não ser escravo do Mundo, da Carne e dos Pensamentos (Novamente Efésios 2)
    Existe a possibilidade de se apoderar do Reino de Deus, de fazer parte dele. Não simplesmente Crendo (Acreditando) nesse Jesus bonzinho. Mas seguindo com diligência TUDO aquilo que Ele Jesus disse, principalmente no que diz respeito à
    1. RECEBER o Perdão dele. Dar o braço a Torcer entendendo que somos escravos.
    2. EXECUTAR o Amor ao Próximo.
    3. EXECUTAR o Amor à Deus acima de todas ... E chegaremos no ponto de Amar mais à Deus do que à nossa própria existência terrena.
    4. Clamar à ELE para se ver livre da escravidão à natureza pecaminosa. (Clama a mim e Responder-te-ei).
    5. Entendido tudo isso... IR E PREGAR (COM AÇÕES) A TODA A CRIATURA TUDO ISSO QUE ELE NOS ENSINOU.
    .
    .
    Se olharmos tudo isso que expus no texto acima... verão que estou anulando todas as minhas vontades (estou morrendo para mim mesmo, estou negando-me a mim mesmo). E estou optando em viver para função de agradar o Meu Libertador... Jesus de Nazaré.
    .
    Com este Ciclo apontado nos itens de 1 a 5, neste processo, você irá esbarrar com o Morte da Carne e o Novo Nascimento.
    Você irá se deparar com o Batismo (imersão) no Espírito Santo. Que é a 2ª Experiência, após o ato de Crer.
    .
    Bem...
    Toda essa situação exige esforço... muito esforço...
    Pois todo principado e potestade farão de TUDO para te provar que você fez a escolha errada... quando escolheu não permanecer ligado ao mundo. Fatalmente perderá tudo aquilo que angariou quando estava ligado (conectado) ao sistema deles.
    .
    Nesse processo todo... incluindo as perseguições e tribulações... DEUS ESTÁ TE OBSERVANDO!
    E vendo até que ponto você vai com esse negócio de CRER NELE!

    ResponderExcluir
  9. A JÓ o Senhor Deus permitiu que lhe tirasse praticamente tudo. Filhos, Casa, Celeiros, etc. E que lhe fosse acometido por enfermidades.
    A José Deus permitiu que ele (que era um Sonhador) fosse feito escravo por anos e anos no Egito. E sendo fiel a Deus, tornou-se benção para aquele povo e o Único Deus foi exaltado pela vida daquele Hebreu na maior nação da Terra naquela época.
    .
    Bem...
    Nessa caminhada eu vi e senti na pele que o Evangelho não é
    - Ir ao Culto/Missa todos os Domingos/Quartas/Etc
    - Cantar louvores e continuar vivendo a mesma vida... Dizer que "Ama a Deus"... Mas segue buscando conforto, dinheiro, bens, etc. Planejando primordialmente o Churrasco do Final de Semana, Formatura, Trocar de Carro, etc.
    - Ser simplesmente um exemplo de Boa Pessoa... que permanece no trajeto Casa-Igreja.... Pois a missão está em IR no MUNDO... entre aqueles que não conhecem isso que você conhece... essa libertação que você conhece... se é que conhece.
    .
    Assim...
    Creio que vivo no entendimento que o Reino de Deus chega até mim PELO ESFORÇO.
    Lembrando que não é meu esforço que me justifica.
    Mas Deus olha para mim e vê que realmente entendi o que ele disse quando falou: "De Graça Recebei, de Graça Dai".
    .
    E daí associei ao que ele disse em
    Mateus Capítulo 7:21-27:
    Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
    Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?
    E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade.
    Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha;
    E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.
    E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia;
    E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.
    .
    SÓ BASTA A GRAÇA DELE...
    PARA SAIRMOS DA NOSSA ZONA DE CONFORTO E ENSINAR O EVANGELHO A TODOS QUE NOS RODEIAM.
    .
    MAS LUCIFER TEM NOS ENGORDADO DENTRO DE NOSSAS PRÓPRIAS IGREJAS.
    E SEGUIMOS COMO RELIGIOSOS. CONDENANDO OS QUE ESTÃO FORA DO TEMPLO.
    .
    ISSO É SERÍSSIMO!!!
    .
    Sejamos não só estudiosos mas acima de tudo praticantes da Palavra de Jesus.
    .
    E que Deus nos abençoe.

    ResponderExcluir